ASSOCIAÇÃO DOS GEÓLOGOS E ENGENHEIROS DA CPRM
  • quinta, 26 de abril de 2018 às 16:27



    Diretor de Geologia e Recursos Minerais no NUBA em Curitiba

    O Núcleo de Apoio de Curitiba (NUBA) do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), no Estado do Paraná, recebeu a visita no dia 03 de abrildo diretor de Geologia e Recursos Minerais, José Leonardo Silva Andriotti. Na ocasião, o diretor, junto do Superintendente Regional de São Paulo, Júlio César Andriolli Caliento, e do Gerente de Geologia e Recursos Minerais de São Paulo, Mauricio Pavan Silva conheceu as instalações do NUBA e realizou uma reunião com representantes do Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM/PR).


    Durante a visita, o diretor apresentou o planejamento estratégico adotado para a DGM no ano de 2018. A visita foi finalizada com a reunião no DNPM-PR, com a presença do Superintendente Regional, Hudson Calefe, e dos geólogos Renata de Paula Moro e José Augusto Simões Neto. Nesta reunião foram tratados assuntos inerentes ao acordo de cooperação CPRM-DNPM.



    Assessoria de Comunicação
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    (61) 2108-8400


  • quinta, 26 de abril de 2018 às 14:38





    O Instituto de Geociências (IGEO) e Núcleo de Estudos Ambientais (NEA) da Universidade da Bahia (UFBA) foram convidados pelo Latin American Association of Organic Geochemestry (ALAGO) para sediar o 15º Congresso Latino Americano de Geoquímica Organica (ALAGO 2018) em novembro de 2018, em Salvador.

    Entre os dias 4 a 7 de novembro, vários especialistas da área atenderão ao congresso, e os principais tópicos tratados são: Sistemas convencionais e não-convencionais de petróleo, geoquímica do gás, caracterização de fontes de rochas, geoquímica ambiental, novas tecnologias e exploração de superfícies. O especialista Cássio Roberto da Silva, pesquisador do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), será colaborador da organização e divulgação do evento.


    O prazo para submissão da inscrição é até 1º de junho, pelo site: www.alago2018.salvador.br

  • quinta, 26 de abril de 2018 às 10:21





     
    Técnicos da CPRM e da Defesa Civil de Santa Catarina na entrega da setorização de risco realizada no CIGERD
    O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) entregou nesta quarta-feira, dia 25/04, dados da setorização de risco de 52 municípios de Santa Catarina. O evento ocorreu às 10h no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres do Estado de Santa Catarina (CIGERD), em Florianópolis. Trata-se da segunda remessa entregue à Defesa Civil, que somadas às informações entregues em março, totalizam 112 municípios. A CPRM esteve representada no evento pelos coordenadores técnicos do projeto Diogo Rodrigues da Silva e Sandra Fernandes da Silva.



    No total, foram setorizados 166 municípios como parte do convênio celebrado entre a CPRM e o governo do Estado de Santa Catarina, sendo 153 setorizações em municípios que não tinham estes dados, e 13 atualizações de setorizações de municípios já mapeados pela CPRM em 2014. Os produtos incluem mapas e limites de setores de risco geológico alto e muito alto frente a movimentos de massa e o relatório final produzido pela equipe técnica que efetuou as atividades de campo.

    Também foram entregues, dentro da meta de elaboração de pré-cartas de suscetibilidade a movimentos gravitacionais de massa e eventos de natureza hidrológica, a modelagem de bacias suscetíveis a enxurrada do Estado de Santa Catarina. Em fevereiro e março foram entregues os modelos de movimento gravitacional de massa (deslizamentos) e de bacias suscetíveis a corridas de massa. Todos os produtos foram elaborados em meio digital para alimentar o sistema de planejamento, monitoramento e gerenciamento de risco do Estado.

    Além da setorização de risco e elaboração de pré-cartas de suscetibilidade, a CPRM está efetuando mapeamento de perigo de acordo com os aspectos metodológicos preconizados no manual de mapeamento do Projeto Gides (Gestão Integrada de Riscos em Desastres Naturais) em cinco municípios pilotos: Braço de Norte, Santo Amaro da Imperatriz, Guaramirim, Rio do Sul e Herval do Oeste. O Projeto GIDES foi realizado entre os anos de 2013 e 2017 a partir da cooperação internacional entre os Governos do Brasil e do Japão, envolvendo diversos ministérios e agências do governo federal e os governos dos Estados de Santa Catarina e do Rio de Janeiro e dos municípios de Blumenau, Nova Friburgo e Petrópolis.

    Os cinco municípios selecionados representam os diferentes compartimentos geológicos-geomorfológicos do Estado de Santa Catarina e foram estrategicamente selecionados para que metodologia de mapeamento de perigo seja adaptada para as diferentes mesorregiões do Estado de Santa Catarina. No futuro, os municípios poderão aplicar e validar esta metodologia de mapeamento de perigo em seu território. Até o final do projeto também deverão ser realizados ao menos quatro treinamentos para agentes municipais de proteção e defesa civil.

    O gerente de Monitoramento e Alerta da Secretaria de Defesa Civil de Santa Catarina, Frederico de Moraes Rudorff, destacou o caráter inovador do projeto executado pela CPRM, que irá proporcionar avanços significativos em termos do conhecimento dos riscos no território catarinense. “O estado será o primeiro do Brasil a ter todo o seu território mapeado para os riscos de deslizamentos, enxurradas e inundação graduais. Os produtos entregues deverão subsidiar as áreas de gestão de riscos de desastres e de planejamento territorial com informações estratégicas para a elaboração de planos diretores, planos de contingência e planos de redução de riscos e a implementação de núcleos comunitários de proteção e defesa civil e de sistemas monitoramento e alerta voltados para a população de áreas de risco”, afirmou. 

    Assessoria de Comunicação 
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    asscomdf@cprm.gov.br 



  • quinta, 26 de abril de 2018 às 10:03





    Geólogo, Chefe da DIMINI, Vanildo Mendes na Palestra de Lançamento do Atlas de Rochas Ornamentais dos Estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas

    O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) lançou entre os dias 18 e 20/04 durante a Fortaleza Brazil Stone Fair o Atlas das Rochas Ornamentais dos Estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. O evento constitui uma das três feiras de rochas ornamentais que anualmente ocorre em nosso país e a participação da CPRM teve por finalidade difundir o conhecimento geológico e informações técnicas sobre os jazimentos de rochas ornamentais localizados nos estados com fins ornamentais para os empresários do setor visando atrair investimentos na pesquisa e lavra de novos depósitos.


    Durante o evento foi montado um stand da instituição onde foram expostos mapas e relatórios de cunho geológico e distribuídos informes técnicos referentes ao setor realizados pela CPRM. A solenidade oficial de lançamento ocorreu às 18h, do dia 19, no auditório do evento, com a presença do chefe da Divisão de Rochas e Minerais Industriais (DIMINI), geólogo Vanildo Almeida Mendes, da qual participaram empresários ligados ao setor além de geólogos e engenheiros de minas, imprensa e técnicos de entidades governamentais.

    Palestra na Refo - Além de participar do lançamento oficial do Atlas de Rochas Ornamentais dos Estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, no dia 18/04, o chefe da DIMINI, geólogo Vanildo Almeida Mendes, participou de reuniões técnicas sobre minerais industriais na Unidade Regional de Fortaleza-REFO, com a presença do o coordenador executivo/REFO Mickaelon Vasconcelos e Assistente de Produção da DGM/REFO Edney Palheta.

    Na manhã do dia 20, realizou palestra para os técnicos da DGM lotados nessa residência sobre a “pesquisa de minerais industriais notadamente rochas ornamentais”. Durante esta reunião discutiu com o corpo técnico a necessidade dos nossos mapeamentos terem o conteúdo mais voltado para os minerais industriais os quais são imprescindíveis ao desenvolvimento econômico e social do país. Foi discutida ainda a possibilidade de serem iniciados a partir do próximo ano o projeto de estudo das “Rochas Ornamentais do Estado do Ceará”, o qual deverá incluir; elaboração de um mapa de potencialidades e atualização do “Atlas de Rochas Ornamentais do Estado do Ceará.

    Geólogo, Chefe da DIMINI, Vanildo Mendes fala sobre a importância da pesquisa geológica na geração de jazimentos de rochas ornamentais

    Equipe da CPRM: Da esquerda para direita os(as) geólogos(as), Mickaelon Vasconcelos (Coord. Executivo/REFO), Alex França, Débora Freire, Dulcinea Bessa, Edney Palheta (Assist. de Produção da DGM/REFO), Íris Gomes, Iramaia Braga
     

    Assessoria de Comunicação 
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    asscomdf@cprm.gov.br 




  • quarta, 25 de abril de 2018 às 09:45




     
    Participação da CPRM no 2º Fórum Mineração de Agregados




    A superintendência regional de Porto Alegre do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) participou do 2º Fórum de Agregados a convite do presidente do Sindicato das Empresas de Mineração de Brita, Areia e Saibro do Rio Grande do Sul (Sindibritas) e da Associação Gaúcha dos Produtores de Brita, Areia e Saibro (Agabritas), Pedro Antônio Reginato, ambas promotoras do evento juntamente com Associação Nacional das Entidades de Produtos de Agregados para Construção Civil (Anepac). O evento aconteceu no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), em Porto Alegre/RS, entre os dias 17 e 18 de abril. 

    A CPRM ocupou um standna Feira de Implementos para o Setor de Agregados onde foram expostos os produtos dos projetos Materiais para Construção Civil da Região Metropolitana de Porto Alegre e da Região da Grande Florianópolis, já concluídos, além de produtos preliminares do projeto em execução na região de Pelotas, Rio Grande e municípios vizinhos. Também foram apresentadas amostras de areia em lupa binocular, exemplos de reação álcali-agregados de rochas utilizadas como agregado para concreto, no microscópio, e os materiais utilizados em análises granulométricas e mineralógicas, realizadas pelo Laboratório de Preparação de Amostras da SUREG/PA. Exemplares de rochas utilizadas na construção civil do acervo do Museu de Geologia da Superintendência também atraíram a atenção do público.

    Outro tema tratado no standque atraiu a atenção dos presentes e gerou o atendimento presencial de várias empresas produtoras de brita, foi a Remineralização de Solos. Muitas pedreiras do RS estão agregando a areia de brita aos seus produtos, o que disponibiliza grandes volumes de finos de britagem, que podem ter potencial para uso agrícola.

    O presidente do Sindibritas/Agabritas, Sr. Reginato, comentou sobre a importância da participação da CPRM no evento junto a outras entidades ligadas a mineração de agregados e o acompanhamento dos debates sobre as mudanças que estão em andamento na legislação que regula o setor. O geólogo Ivam Luiz Zanette, coordenador regional da Agabritas, falou sobre a relevante participação da CPRM e destacou a atuação da empresa na área de Remineralização de Solos e Prospecção de Agregados para a Construção Civil.

    O público participante se destacou entre empresários, administradores públicos, técnicos de órgãos licenciadores, técnicos de empresas, profissionais autônomos, representantes de instituições de pesquisa, ensino e centros tecnológicos, estudantes e sociedade em geral.


    Assessoria de Comunicação 
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    asscomdf@cprm.gov.br 



  • terça, 24 de abril de 2018 às 13:31




    Geóloga Clara Sena apresentando o projeto da Universidade de Oslo

    A Superintendência Regional de Belém recebeu no dia 17 de abril a visita das pesquisadoras Clara Sena e Anja Sandal, da Universidade de Oslo. Na oportunidade, as pesquisadoras apresentaram o projeto de formação profissional “Geological Resources and Sustainable Development” que será desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do Pará, no município de Salinópolis, região nordeste.

    As pesquisadoras foram recebidas pelo SUREG-BE, Homero Reis de Melo Junior, assim como pelo GEREMI-BE, Cesar Chaves e pela GERIDE-BE, Cristiane Silva de Sousa, além dos Supervisores Ulisses Pinheiro Costa e Marcelo Lacerda Vasquez.

    O Supervisor Ulisses Pinheiro fez a apresentação institucional da CPRM e ilustrou os principais projetos de mapeamento geológico e recursos minerais desenvolvidos no Pará. Em seguida o SUREG-BE apresentou os projetos na área de Hidrogeologia desenvolvidos pela CPRM, em especial, os projetos SIAGAS e RIMAS.

    O objetivo da visita das pesquisadoras da Universidade de Oslo foi promover parcerias com a CPRM para a formação profissional na área de Hidrogeologia nos próximos anos, além de contatos futuros com o Serviço Geológico da Noruega. Tais iniciativas estão sendo formatadas para posteriores encaminhamentos à Diretoria da Empresa.
    Geóloga Clara Sena apresentando o projeto da Universidade de Oslo

    O SUREG-BE, Homero Reis de Melo Junior acompanhado pelo Supervisor da GERIDE-BE, Marcelo Vasquez e pelas pesquisadoras Clara Sena e Anja Sandal da Universidade de Oslo


    Assessoria de Comunicação 
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    asscomdf@cprm.gov.br 




  • terça, 24 de abril de 2018 às 11:46



    Novas instalações da biblioteca infantil


    O Museu de Ciências da Terra (MCTer) abriu as portas da nova instalação da biblioteca infantil, na manhã do Dia Nacional do Livro Infantil (18/04). A primeira visita foi a da creche do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), administrada em parceria com a Instituição Cachinhos de Ouro. As crianças conheceram os personagens do Sítio do Pica-Pau Amarelo, ouviram histórias e ainda se fantasiaram de “Cuca”, a bruxa-jacaré dos livros de Monteiro Lobato. Na companhia da “Emília” e do “Visconde”, os alunos visitaram as instalações do Museu.


    A bibliotecária Amanda Paula da Silva é a responsável pela administração do novo espaço do museu. Ela conta que,  iniciou seu trabalho no Museu  para oferecer às crianças mais novas atividades que ensinassem as Ciências da Terra de maneira lúdica através do incentivo à leitura. “Eu, como bibliotecária, sempre gostei dessa parte infantil, porque eu acho que é desde pequeno que você deve ser apresentado aos livros”, defende.


    Amanda da Silva conta histórias para as crianças da creche da CPRM

    Amanda sempre propõe aos pequenos que passem o dia fantasiados de dinossauros para que entrem no espírito das brincadeiras. “ A gente pergunta para as professoras o que elas estão trabalhando em sala de aula, para que possamos complementar de alguma forma através dos livros e atividades ”. O objetivo é atender crianças até a faixa dos oito anos, pois, segundo a bibliotecária, depois dessa idade, elas entram na fase infanto-juvenil e já não gostam tanto das histórias e atividades que são realizadas na biblioteca.


    A peça foi apresentada para alunos da Escola Municipal Gabriela Mistral

    Durante a tarde, cerca de 20 alunos da Escola Municipal Gabriela Mistral assistiram a uma encenação teatral. Inspirada na obra de Monteiro Lobato, a peça foi montada e encenada pelos próprios empregados do Museu que interpretaram personagens clássicos do autor brasileiro, como a boneca Emilia e o Visconde de Sabugosa.

    Estiveram presentes na cerimônia Esteves Colnago, Diretor-Presidente da CPRM, Juliano Oliveira, Diretor de Administração e Finanças, e Denise Pimentel, da Divisão de Marketing e Divulgação (DIMARK), além de outros empregados da empresa que prestigiaram a apresentação. Após o teatro, as crianças também conheceram a biblioteca infantil e participaram de atividades lúdicas, que incluíram contação de história, leitura e desenho.

    Crianças se divertem e aprendem na biblioteca infantil do MCTer
    Equipe do teatro
    Equipe do Teatro:


    Amanda Paula  - Roteiro e direção
    Amanda Santos - Emília 
    Ariene Chaves  - Narizinho
    Daiane Pontes  - Branca de Neve 
    Fátima do Nascimento - Dona Benta 
    Filipe  dos Santos - Pedrinho  
    Luz Gonçalves   - Cinderela
    Mayara do Rosário  - Chapeuzinho Vermelho
    Maria Tereza  - Cuca
    Yan Silveira    - Visconde de Sabugosa

    Confira mais detalhes do evento na galeria de fotos!

    Assessoria de Comunicação
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    (61) 2108-8400


  • terça, 24 de abril de 2018 às 11:32






     
    Reunião entre os representantes do Serviço Geológico do Brasil, do Serviço Geológico da Alemanha e do CETEM
    Representantes do Serviço Geológico da Alemanha (BGR), do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e do Centro de Tecnologia Mineral (CETEM), se reuniram nos dias 13 e 14 de março, no escritório do Rio de Janeiro, para dialogar sobre as atividades vigentes e propor novas execuções. A chefe da Assessoria de Assuntos Internacionais (ASSUNI), Maria Glícia Coutinho, enfatizou a importância da cooperação entre CPRM e BGR, que a curto e médio prazo, vem apresentando resultados positivos.




    O diretor-presidente da CPRM, Dr. Esteves Colnago, participou da reunião com representantes do (BGR e do CETEM). Na ocasião, foram apresentados os resultados das pesquisas do Projeto Identidade Mineral na Província Estanífera de Rondônia (IMPER). O IMPER é um projeto que propõe desenvolver a eficiência do processamento mineral do minério estanífero de Rondônia, além de identificar o potencial para subprodutos que possam estar associados ao mesmo. O estudo realizado trata também do potencial estanífero para o rejeito de minério, que é ainda fonte de estanho no estado de Rondônia.

    Os resultados oficiais do IMPER serão apresentados oficialmente no 3º Seminário Brasil-Alemanha de Mineração e Recursos Minerais, a ser realizado em Belo Horizonte no dia 21 de junho. Na reunião foi ainda discutido o desenvolvimento de um novo projeto denominado de Biocobalto, ou “BioCobalt”. O Projeto é uma iniciativa conjunta entre CPRM, CETEM e BGR que visa a extração de cobalto a partir do desenvolvimento de biolixiviação em depósitos brasileiros de níquel laterítico. Este metal é fundamental para construção de baterias de carros elétricos. Só no ano passado o aumento de preço foi de até 100%. O resultado esperado para o BioCobalto é desenvolver uma nova oportunidade para os depósitos de níquel no Brasil, atendendo a crescente demanda pelo metal e evitando a escassez no mercado.

    O diretor-presidente disse que acompanha com expectativa os trabalhos desta parceria, que busca agregar valor à mineração brasileira. O diretor de Geologia e Recursos Minerais da CPRM, Dr. José Andriotti, ressaltou que a DGM está trabalhando em diversos projetos em elementos portadores do futuro, tais como o “Lítio no Brasil” e iniciativas que tentam encontrar alvos potenciais para grafita e cobalto.

    O representante da BGR, Dr. Herwig Marbler, demonstrou satisfação com o resultado alcançado pela pesquisa desenvolvida na Província Estanífera de Rondônia. Ele reforçou que Brasil e Alemanha são parceiros comerciais de longa data, e que esta parceria serve para fortalecer este vínculo no setor de recursos minerais. O geólogo Tiago Buch apresentou a metodologia executada no projeto IMPER e também a proposta do BioCobalt. Segundo ele, esses projetos são estratégicos para firmar a competência da CPRM no setor mineral. Buch afirmou ainda que a intenção desta parceria com a BGR é agregar valor ao recurso mineral brasileiro, contando como premissa o conceito de eficiência mineral, muito difundido na Alemanha. O Dr. Reiner Neumann representou o CETEM e discorreu sobre o papel da unidade de pesquisa nesta parceria conjunta.

    Na reunião participaram também o Chefe do Departamento de Recursos Minerais, Marcelo Almeida, o Coordenador da Parceria Brasil-China, João Larizzatti, Patrícia Duringer (SUPLAM) e Giancarlo Bonnotto (NIT).

    Para este ano estão previstos, após a apresentação do IMPER em Belo Horizonte, um workshop com a equipe do BioCobalt e uma reunião com as empresas mineradoras de níquel do país. O prazo de conclusão do projeto é para junho de 2020.

    Assessoria de Comunicação 
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    asscomdf@cprm.gov.br 



  • segunda, 23 de abril de 2018 às 11:08




     
    Participantes do encontro.

    A Superintendência Regional de Salvador - SUREG-SA participou, em 19 de abril/2018, do 1º Encontro Regional dos Coordenadores Estaduais de Proteção e Defesa Civil do Nordeste promovido pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia. O evento foi realizado no auditório da Casa Civil do Governador, no CAB,  na capital baiana e teve como foco fortalecer a região nordeste com políticas públicas de ações de resposta, socorro e reconstrução, ajuda mútua entre os estados nordestinos durante períodos chuvosos que se aproxima.

    Representou o Serviço Geológico do Brasil no encontro, o Superintendente Regional, José Ulisses Bandeira Pinheiro, os pesquisadores Gustavo Carneiro e João Luiz Matta de Souza da equipe regional que ministrou uma palestra sobre Setorização de Áreas de Risco Geológicos.


    O Superintendente da Defesa Civil da Bahia, Dr. Paulo Sergio Luz agradeceu participação do CPRM, afirmando que o encontro serviu para estreitar ainda mais as relações entre as instituições na busca de melhorias e fortalecimento das políticas públicas.
    O Superintendente Regional de Salvador (à direita), José Ulisses Pinheiro e os pesquisadores, João da Matta e Gustavo Carneiro .

     
    João da Mata palestrando sobre a setorização de áreas de risco geológicos.




  • sexta, 20 de abril de 2018 às 16:08



    INTEGRA CPRM em Goiânia teve a participação de todos os colaboradores da SUREG


    Interação entre os setores e colaboradores do Serviço Geológico do Brasil. Esse é um dos objetivos do projeto INTEGRA CPRM, que em sua segunda edição busca incentivar a troca de experiência e integração entre as áreas técnicas e administrativas e, assim, criar uma nova cultura de compartilhamento do conhecimento na empresa.


    As superintendências Regionais de Goiânia e Belo Horizonte promoveram o encontro que resultou em uma série de palestras, apresentações e debates que mobilizaram empregados e colaboradores. Entre elas destacam-se as apresentações da Superintendência de Planejamento e Métodos (SUPLAM) para divulgar o Escritório de Projetos e o Planejamento Estratégico da CPRM para os próximos anos.

    Em Belo Horizonte o evento aconteceu entre os dias 2 e 3 de abril e contou com presença do diretor-presidente Esteves Colnago e do diretor de Administração Juliano Oliveira. Na ocasião, foi anunciada pelo diretor-presidente a política de inovação da empresa. Juliano Oliveira explicou como será o funcionamento do Centro de Serviços Compartilhados (CSC) que será implantado em breve da empresa com o objetivo de promover uma gestão integrada e mais eficiente nas aquisições de produtos e serviços.

    O superintendente Leandro Lima falou sobre os desafios da unidade regional e a busca por novas parcerias. Citou a parceria com a UFOP para que as duas intuições possam elaborar proposta em uma chamada pública no CNPq, para pleitear bolsas de iniciação científica. Houve ainda homenagem aos colegas que estão saindo da empresa porque aderiram ao PDISP, além de palestras sobre gestão territorial, hidrologia, importância dos minerais industriais na nossa vida, nota técnica para licitação e renovação de contratos e  compras no setor público.

    Já em Goiânia o encontro foi realizou nos dia 12 e 13 de abril e teve palestras sobre mapeamento geológico e prospecção mineral, que incentivaram o debate sobre os trabalhos que estão sendo realizados pela unidade regional. Houve ainda debate sobre assédio e a violência doméstica, mediado por representantes da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, além da presença da Defesa Civil, que falou sobre as áreas de risco e seus impactos na  cidade de Goiânia.

    Visita à Mina - A programação em Goiânia teve ainda visita dos empregados à Mina de Vermiculita da Empresa Brasil Minérios, localizada em São Luiz dos Montes Belos. O objetivo da visita foi conhecer o empreendimento mineral para a troca de conhecimento.   O grupo que visitou a mina reuniu profissionais que atuam nas áreas administrativa e técnica.

    A segunda edição Integra CPRM em Goiânia foi elogiada. “A visita à mina foi uma experiência incrível. Tive a oportunidade de perto a extração, o processamento e a finalização da vermiculita e entender que é um mineral importante aos setores agrícola, construção civil, da indústria automotiva entre outras”, disse Hérica Doris, que trabalha na gerência de Administração e Finanças (GERAFI).

    “Foi uma agradável surpresa o Integra propiciar uma visita técnica em um local que é o ambiente comum de trabalho de uma grande quantidade dos nossos colegas de empresa. A observação in loco contribuiu e agregou novos conhecimentos e visibilidade sobre o funcionamento de uma mina”, destaca Tiago Evangelista, da Gerência de Relações Institucionais (GERIDE).
    .
    Confira as fotos do Integra em Goiânia e em Belo Horizonte:

    Empregados da CPRM visitam a Mina de Vermiculita

    Presença da Defesa Civil em Goiânia


    Diretor-presidente Esteves Colnago no Integra em Belo Horizonte
    Empregados são homenageados no Integra em Belo Horizonte

    Assessoria de Comunicação
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM
    asscomdf@cprm.gov.br
    (61) 2108-8400






  • sexta, 20 de abril de 2018 às 14:37







    O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) convida à todos os pesquisadores da área de Geologia a participarem do 49º Congresso de Geologia, no Rio de Janeiro, em agosto. O prazo para envio dos trabalhos foi prorrogado para o próximo domingo, 22 de abril.


    Os coordenadores da Seção Temática Geologia Ambiental e Médica, Cassio Roberto da Silva e Bernardino Ribeiro convidam pesquisadores, professores e estudantes a submeterem seus trabalhos na área. Dentre os temas,  destacam-se a avaliação de ocorrências de metais/minerais e sua relação com a saúde ambiental. Além disso, tratam também de mitigações/soluções e/ou experiências realizadas em áreas degradadas, contaminadas ou poluídas.


    No Simpósio também serão apresentados excursões aos pontos de interesse geológico na cidade do Rio de Janeiro, mini-cursos, palestras magnas com renomados profissionais das geociências e mesas redondas.


    As orientações para submissão dos trabalhos estão disponíveis no site: www.49cbg.com.br. Em anexo, segue o programa do minicurso de Geologia Médica.


    Link para o programa do minicurso de Geologia Médica:


  • sexta, 20 de abril de 2018 às 13:20




    Fernando Carvalho é geólogo de carreira e já ocupou diversos cargos de liderança na empresa

    O Conselho de Administração do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) designou o pesquisador em geociências  Fernando Carvalho para exercer interinamente a função de diretor de Relações Institucionais e Desenvolvimento (DRI).  A reunião do colegiado aconteceu na quinta-feira (19/3), no escritório do Rio de Janeiro.


    Baiano de Jacobina, Carvalho é formado em geologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e economia pelo Centro de Estudos Superiores do Estado do Pará. Iniciou sua trajetória profissional no Departamento Nacional de Produção Mineral, onde ajudou a criar o Distrito da autarquia no Amapá. Ingressou na CPRM em 1970, trabalhando principalmente na Amazônia, onde atuou como geólogo do projeto RADAM e ocupou diversos cargos de liderança nas Superintendências Regionais de Manaus e Belém.

    Carvalho foi diretor Relações Institucionais e Desenvolvimento entre 2003 e 2012, nesse período teve atuação decisiva na criação da rede de litotecas, de laboratórios e bibliotecas e modernização tecnologia. Foi superintendente regional de Manaus e atuou em importantes projetos de mapeamento geológico e pesquisa mineral.  Antes de ser nomeado pelo colegiado, atuava como assessor da Presidência da CPRM.

    O longo de 48 anos de serviços prestados a instituição,  Carvalho é elogiado  pelos colegas de trabalho pela sua experiência, capacidade de diálogo e conhecimento sobre as principais áreas de atuação da CPRM.


    Assessoria de Comunicação
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM
    asscomdf@cprm.gov.br
    (61) 2108-8400

  • quinta, 19 de abril de 2018 às 14:47





    Novos estudos que identificam potencialidades minerais, em uma área de mais de 212,5 mil km2 do estado do Rio Grande do Sul, foram finalizados pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e serão apresentados para a comunidade técnico-científica, representantes de órgãos governamentais e investidores do setor mineral. O lançamento das Notas Explicativas das folhas Lagoa da Meia Lua, Aceguá, Curral de Pedras, Hulha Negra e Passo São Diogo e do Informe de Recursos Minerais Metalogenia das Províncias Minerais do Brasil: Porção Sul da Bacia do Paraná, ocorrerá no dia 08/05, às 14h, no Auditório do Sindicato dos Engenheiros do RS, na avenida Erico Verissimo, 960, Menino Deus, Porto Alegre.

    Convite evento dia 08/05



    O mapeamento elaborado em escala 1:100.000 indica potencial para insumos energéticos, com destaque para o carvão, mas também potencial mineral para calcário, importante insumo para agricultura e construção. Foram encontradas ainda diversas ocorrências de ouro, metais básicos como cobre, e também áreas anômalas para cassiterita, columbita, cromita e scheelita. O levantamento ocorreu numa área 12,5 mil km2 nos municípios de Aceguá, Bagé, Candiota, Dom Pedrito, Herval, Hulha Negra, Jaguarão, Lavras do Sul, Pedras Altas, Pinheiro Machado, Santa Margarida do Sul, São Gabriel e Vila Nova do Sul. 

    No evento, aberto ao público, a CPRM vai apresentar ainda o estudo realizado na Porção Sul da Bacia do Paraná, abrangendo uma área de cerca de 203.500 km2 no norte do Estado do Rio Grande do Sul, que identifica a possibilidade da ocorrência de depósitos minerais de Níquel e Cobre. A investigação aprofunda o conhecimento sobre uma das maiores províncias ígneas do planeta: a Grande Província Ígnea Serra Geral (Large Igneous Province - LIP Serra Geral), que constitui uma parte do RS e é formada por um vasto pacote de derrames vulcânicos basálticos e intrusões máfico-ultramáficas, reconhecidas por apresentarem características semelhantes aos encontrados em outras regiões, como Noril’sk (Rússia), principal depósito mundial de níquel.

    O Informe de Recursos Minerais consistiu no tratamento e análise de amostras de geoquímica prospectiva, informações de campo e de testemunhos de sondagem, com identificação e descrição em detalhe de diversas áreas anômalas para sulfetos, óxidos e elementos nativos.



    Lançamento: dia 08/05/2018 (Terça-feira)
    Programação:
    14:00 Solenidade de Abertura
    14h30Apresentação da Folha Lagoa da Meia Lua, pelo geólogo Dr Jorge Henrique Laux
    14h50 Apresentação das folhas Aceguá, Curral de Pedras, Hulha Negra e Passo São Diogo, pelo geólogo MsC Carlos Moacyr F. Iglesias
    15h30 Apresentação do informe de recursos Minerais Metalogenia das Províncias Minerais do Brasil: Porção Sul da Bacia do Paraná, pelo geólogo Dr Wilson Wildner
    16h10debates
    16h30coffee break
    A CPRM é uma Empresa Pública vinculada ao Ministério de Minas e Energia com as atribuições de Serviço Geológico do Brasil. Tem como missão gerar e difundir conhecimento geológico e hidrológico básico para o desenvolvimento sustentável do Brasil - Ministério de Minas e Energia, Governo do Brasil.

    Assessoria de Comunicação
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM
    asscomdf@cprm.gov.br
    (61) 2108-8400
    (51) 3406-7361






  • quinta, 19 de abril de 2018 às 14:46






    A Superintendência Regional de Belém, através da Gerência de Relações Institucionais e Desenvolvimento, promoveu no período de 09 a 13 de abril, o  Curso Básico de GNSS - Sistema de Posicionamento Global, que mostrou noções básicas de aplicação do GPS com ênfase na coleta de coordenadas geográficas.


    Os aparelhos facilitam a navegação com mapa, além da coleta de dados para os estudos que a CPRM pratica. Foram usados drones e vants na capacitação. O curso foi ministrado pelo Técnico em Geociências Hugo de Souza Ferreira e teve a participação de Geólogos, Engenheiros e Técnicos em Mineração.


    Participantes fazem a coleta de coordenadas dos equipamentos



    Participantes do curso de capacitação





  • quinta, 19 de abril de 2018 às 11:36



    Da esquerda para a direita, Nathalia Roitberg, Diógenes Campos, Alexander Kellner e Maria Luiza Poucinho

    O Museu Nacional, vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), tem novo diretor. O paleontólogo Alexander Kellner tomou posse na última sexta-feira (13), em cerimônia no gabinete da vice-reitora da universidade. Participaram do evento Nathalia Roitberg, gestora do Museu de Ciências da Terra (MCTer), Diógenes Campos, curador do MCTer, além de Maria Luiza Poucinho, técnica em Geociências da Divisão de Cartografia (DICART/CPRM).


    Alex Kellner foi orientado por Diógenes Campos e, mais tarde, trabalharam juntos em diversas parcerias, inclusive, na descoberta do maior dinossauro já encontrado no Brasil, o Austroposeidon Magnificus, com 25 metros de comprimento. O anúncio deste achado aconteceu no ano de 2016, no Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Atualmente o fóssil permanece em exposição no MCTer.

    Alexander Kellner está há 20 anos no Museu Nacional e já foi chefe de Departamento de Geologia e Paleontologia e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Zoologia.



    Assessoria de Comunicação
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    (61) 2108-8400


  • quinta, 19 de abril de 2018 às 11:26




    Modelo de prospectividade
    O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) publicou seu mais recente informe técnico intitulado Ocorrências de Elementos Terras Raras em rochas alcalinas da Suíte Ouro Fino, Costa Marques, Rondônia, Brasil – descrição e modelo de prospecção geofísica e geoquímica. A publicação foi escrita pelos pesquisadores em Geociências da CPRM Tiago Buch (Porto Velho), Lucy Takehara Chemale (Porto Alegre), Guilherme Ferreira da Silva (Porto Velho) e Wilson Oliveira Neto (Divisão de Geoquímica).


    Realizado no município de Costa Marques em Rondônia, o estudo retoma as pesquisas na área do Projeto Costa Marques – única iniciativa da CPRM voltada para Elementos de Terras Raras (ETR) na década 1990. Na época, foi realizado estudo prospectivo, sendo caracterizado o local como um depósito de terras raras. No entanto, a exploração não foi viabilizada devido a questões de logística e mercado, apesar da importância que esses elementos possuem por suas propriedades físicas e químicas e sua utilização na indústria de alta tecnologia.

    Recentemente, com o desenvolvimento do projeto Avaliação do Potencial de Terras Raras no Brasil, iniciado em 2012, áreas potenciais para depósitos de terras raras voltaram a ser pesquisadas. Dentre as quais, Costa Marques, pelo geólogo Tiago Buch, que propôs a integração de dados às informações geofísicas de detalhe. O trabalho contou com a reanálise das alíquotas de amostras disponíveis na litoteca de Caeté, que foram coletadas no Projeto Costa Marques, e o levantamento aerogeofísico Sudoeste de Rondônia, realizado em 2010.

    O levantamento aerogamaespectrométrico (K, Th, U) foi correlacionado com o tratamento geoquímico de ETR. Essa premissa foi utilizada devido a correlação positiva entre os elementos Th e U com os ETR. Os resultados obtidos permitiram a identificação/localização de áreas com potencial para maiores teores em terra raras no corpo granítico estudado (Suíte Intrusiva Ouro Fino), além do desenvolvimento de metodologia que poderá ser aplicada em outras áreas de interesse para o grupo de quinze elementos que possuem comportamento geoquímico similar, conhecidos como lantanídeos ou terras raras.

    A metodologia e resultados deste trabalho serão apresentados pelos autores na 1ª Conferência Internacional Resources for Future Generations a ser realizada entre os dias 16 a 22 de junho em Vancouver, Canadá.

    O mesmo maciço está sendo estudado pelo geólogo Tiago Buch em seu trabalho de mestrado na UnB e que será concluído em breve. O geólogo menciona que conforme o Informe Técnico, a mineralização da Suíte Ouro Fino apresenta não só potencial para ETR, mas também para Zr, o que é inédito no Brasil.




  • quinta, 19 de abril de 2018 às 10:52





     Apresentação da Eng. Hidróloga Catharina Campos para os alunos da Escola
    Municipal Parque Amazônia


    Em comemoração ao Dia Mundial da Água, a Superintendência Regional de Belém integrou as atividades desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Educação de Belém (SEMEC). No dia 21 de março, o Geólogo Xafi da Silva Jorge João apresentou a palestra “Ilustrando a relação da atividade mineral com o meio ambiente através de diversas angulações”, além de apresentar os principais impactos ambientais decorrentes da atividade e as causas que provocarão, em um futuro próximo, aumento na demanda por minerais e energia.



    O palestrante falou sobre a possibilidade de harmonização entre a mineração e o meio ambiente, tendo em vista a reconhecida atuação dos recursos minerais como um sistema de suporte à vida, como por exemplo a água. O evento também contou com a presença da Engenheira Hidróloga Catharina Campos, que proferiu a palestra “Estudando a água: atuações no mercado de trabalho”, para alunos do Ensino Fundamental da Escola Municipal Parque Amazônia, localizada em um bairro periférico da Região Metropolitana de Belém.

    O objetivo da palestra foi levar a conscientização das ciências naturais, em especial a hidrologia, como amplo e frutífero campo de trabalho para os profissionais do futuro, visando maior compreensão sobre a importância da profissão para o alcance de uma sociedade mais sustentável.

    De acordo com a Coordenadora de Capacitação Técnico Científica da SEMEC, Profa. Angela Maria Pantoja, a participação da CPRM foi extremamente frutífera, pois compartilhou os conhecimentos sobre os recursos hídricos e o meio ambiente.

    Parceria CPRM e SEMEC- O objetivo da Superintendência Regional de Belém, a partir da iniciativa com a SEMEC é celebrar um Termo de Cooperação Técnica com a instituição a fim de promover um calendário anual de participação em eventos e capacitações organizados pela SEMEC, onde os pesquisadores da CPRM irão difundir tanto o conhecimento geológico e hidrológico como as diversas atividades de nossa instituição com o corpo discente e docente da capital paraense.


    Geólogo Xafi da Silva Jorge João em atividade de capacitação dos professores de ciências da rede municipal de ensino de Belém.

    Geólogo Xafi da Silva Jorge João em atividade de capacitação dos professores de ciências da rede municipal de ensino de Belém.


    Apresentação da Eng. Hidróloga  Catharina Campos para os alunos da Escola Municipal Parque Amazônia.









  • quarta, 18 de abril de 2018 às 16:57




    Com a participação do pesquisador Roberto Kirchheim, o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) esteve representado no 6º Congresso Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente que ocorreu na última terça-feira, dia 10/04, em Bento Gonçalves (RS). O hidrogeólogo da CPRM foi um dos palestrantes do painel de Recursos Hídricos e apresentou o tema “Gestão das Águas Subterrâneas”, na qual foram compartilhados aspectos conceituais, técnicos e lições aprendidas a partir da experiência do Serviço Geológico do Brasil na execução de projetos hidrogeológicos.


    Roberto Kirchheim palestra no 6º Congresso Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente


    O Congresso teve como tema: inovação com sustentabilidade em tempos de mudança. Simultaneamente, a Fundação ProAmb, organizadora geral do evento, promoveu a Fiema Brasil – Feira de Negócios, Tecnologias e Conhecimento, um espaço voltado à geração de conhecimentos e negócios apresentando o que há de mais atual em termos de equipamentos, produtos e serviços no segmento ambiental, com foco na sustentabilidade. “A feira, que está em sua 8ª edição, é uma oportunidade para o setor público, privado e terceiro setor debaterem sobre os desafios do planejamento e gestão ambiental frente à escassez de recursos naturais e a consequente necessidade de adoção de tecnologias mais eficazes nos processos produtivos”, destacou Roberto Kirchheim.


    Kirchheim participou do painel Recursos Hídricos e abordou o tema águas subterrâneas




  • quarta, 18 de abril de 2018 às 13:40



    Distribuição das estações automáticas de monitoramento na bacia (PCDs)

    O Sistema de Alerta Hidrológico do rio Caí, operado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), recebeu investimento de R$350 mil para aquisição e instalação de novos equipamentos. O processo de modernização englobou a substituição gradual das sete plataformas de Coletas de Dados Automáticos (PCDs), que operavam com transmissão via GSM/GPRS (telefonia celular) desde 2010, por novas plataformas que realizam transmissão via satélite (GOES) e possuem sensores mais resistentes. O uso da nova tecnologia terá como resultado mais precisão e garantia da informação.


    Conforme a engenheira hidróloga da CPRM, Andrea Germano, as atividades de um Sistema de Alerta Hidrológico (SAH) estão em constante processo de modernização e inovação para obter maior precisão e confiabilidade no monitoramento e nas previsões feitas para a sociedade. “Os novos equipamentos minimizarão a falha de envio das informações, contudo, em caso de falha, os engenheiros e técnicos de plantão na CPRM levantam as informações via observadores ou por meio do deslocamento das equipes ao campo para realizar as leituras nos equipamentos”, relata.

    Ela explica que o SAH Caí, assim como os outros operados pela CPRM, é formado por um conjunto de estações de monitoramento hidrológico que dão subsídios para a realização de previsões de nível de rios para áreas socialmente vulneráveis a inundações. “Os dados monitorados de chuva e níveis de rios são transmitidos até a CPRM e analisados por meio de um modelo matemático que possibilita fazer previsões. Se necessário, são emitidos boletins extraordinários de alerta para enchente, repassados por e-mail ao CEMADEN, CENAD, ANA, Defesa Civil estadual, defesas civis locais, para que eventuais prejuízos para vida e patrimônio da comunidade afetada seja mitigado”, explica. Além disso, os dados transmitidos remotamente são armazenados e disponibilizados ao público, em tempo real, no portal da CPRM.

    Aumento do tempo de previsão – Após a instalação e operação dos novos equipamentos, foi dado início à segunda fase da modernização do Sistema de Alerta do Rio Caí, que tem por objetivo ampliar o tempo de previsão antecipada do alerta para enchentes na bacia.

    O engenheiro hidrólogo da CPRM, Emanuel Duarte Silva, enfatiza a importância do melhoramento do modelo atual de previsões de níveis, composto de redes neurais artificiais, treinadas para as situações representadas pelas séries dos dados contínuos obtidos no período de operação do SAH de 2010 a 2018. “O produto final ampliará o atual horizonte de previsão de 10h, bem como tem a potencialidade de gerar previsões com menos incertezas e se adaptar a falhas de transmissão de dados”, relatou Emanuel, que desenvolve o estudo também como tema da sua dissertação de mestrado, sob supervisão do Professor Dr. Olavo Pedrollo do IPH/UFRGS.

    O Sistema de Alerta de Eventos Críticos (SACE) da bacia do Rio Caí está disponível AQUI

    Os dados hidrológicos utilizados nas previsões realizadas pelo SACE do rio Caí são provenientes da Rede Hidrometeorológica Nacional de responsabilidade da Agência Nacional de Águas (ANA), operada pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

    Instalação do Datalogger em São Francisco de Paula – RS



    Equipamentos de coleta, armazenamento e transmissão de dados instalados em São Francisco de Paula – RS

    Instalação da antena de transmissão via satélite em São Sebastião do Caí – RS

    Equipe trabalhando na instalação dos equipamentos em São Sebastião do Caí – RS

    Assessoria de Comunicação
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM
    asscomdf@cprm.gov.br
    (61) 2108-8400
    (51) 3406-7361


  • quarta, 18 de abril de 2018 às 11:31










  • segunda, 16 de abril de 2018 às 12:09




    Participantes do curso

    A Superintendência Regional de Belém, por meio da Gerência de Relações Institucionais e Desenvolvimento, promoveu no período de 09 a 13/04/2018, Curso Básico de GNSS - Sistema de Posicionamento Global, ministrado pelo técnico em geociências Hugo de Souza Ferreira.

    O curso contou com  a participação de geólogos, engenheiros e técnicos em mineração, que aprenderam  noções básicas de aplicação do GPS com ênfase na coleta de coordenadas geográficas, navegação com mapa e as principais aplicações da tecnologia. Durante o curso  houve demonstrações práticas de coleta de dados com Drones e Vants.

     
    Coleta de coordenadas

    Durante o curso houve demonstrações práticas de coleta de dados com Drones e Vants




    Assessoria de Comunicação 
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    asscomdf@cprm.gov.br 









  • segunda, 16 de abril de 2018 às 11:33





     
    Empregados receberam informações no 1º dia (05/04) de curso da plataforma ArcGis Pro
    O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) deu início, nos dias 5 e 6 de abril, ao treinamento da plataforma ArcGis Pro. Trata-se de um dos principais softwares utilizados ao redor do mundo para projetos de geoprocessamento. A nova ferramenta é a sucessora natural do ArcMap e promete maior versatilidade na integração de dados 3D e estatísticos. 

    Desenvolvido pela empresa americana Esri, líder global em sistemas de informações geográficas, o ArcGis Pro se diferencia de outros serviços por sua capacidade superior de acesso à memória e poder de processamento dos computadores modernos. A grande novidade da plataforma é a possibilidade de desenvolver mapas de forma colaborativa, através da conexão com uma base única de dados compartilhada.



    Com o objetivo de difundir o aprendizado técnico, a CPRM elegeu um grupo de funcionários com perfil multiplicador, ou seja, pessoas que devem se familiarizar com o ArcGis Pro e repassar o conhecimento adiante. Para tanto, a Academia de Sistema de Informação Geográfica (GIS) da Esri, em parceria com a Divisão de Geoprocessamento (DIGEOP) do Serviço Geológico do Brasil, está ministrando cursos em todo o território nacional.

    A primeira fase de capacitação teve por objetivo introduzir os pilares da ferramenta e seu correto gerenciamento por parte da equipe da DIGEOP e da Divisão de Informática (DIINFO). No dia 9, foi organizado um cronograma para uma série de cursos sobre o ArcGis Pro no Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador, que receberam as primeiras turmas com 14 multiplicadores cada. Outros estados terão treinamentos agendados em breve.

    Em um segundo momento, o treinamento vai abranger turmas de Phyton, Drone, manipulação e processamento de imagens, integração lógica com outros softwares, assim como ferramentas de controle de produtividade, métrica e gestão. Para o chefe da DIGEOP, Hiran Silva Dias, o intuito é elevar o grau de excelência na divulgação de dados e automatizar os processos permitindo uma melhor gerência. “Temos a responsabilidade de manter a nossa missão utilizando as melhores práticas do mercado”, destacou. 

    Assessoria de Comunicação 
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    asscomdf@cprm.gov.br 




  • sexta, 13 de abril de 2018 às 17:30





    Na manhã desta sexta- feira (13), às 9h28 (horário de Brasília) um tremor de terra na margem continental de Santa Catarina, próximo a Florianópolis foi detectado pela Rede Sismográfica Brasileira. A magnitude, considerada baixa, foi de 3,6 e ainda assim, os moradores de algumas cidades catarinenses relataram sentir o abalo sísmico. 

    15 estações da Rede Sismográfica Brasileira registraram o abalo sísmico. “O tremor de maior magnitude em Santa Catarina ocorreu em 1939, de magnitude 5,5, e ainda assim é considerado baixo para os padrões mundiais” afirmou Marcos Ferreira, coordenador do Laboratório de Sismologia do Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Segundo ele, é raro ocorrer tremores de alta magnitude no país e não há motivos para se preocupar com o de hoje.

    Em Florianópolis, a Polícia Civil recebeu diversos chamados e em Blumenau um prédio chegou a ser esvaziado após o tremor. De acordo com a Defesa Civil, não houve feridos e nenhum dano foi registrado. As principais cidades nas quais a polícia foi acionada foram: Florianópolis, Blumenau, Santo Amaro da Imperatriz, Tijucas, São João Batista e outras cidades do litoral catarinense e do Vale do Itajaí. 

    O epicentro do tremor foi a cerca de 65km da costa de Santa Catarina. De acordo com o centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), praticamente toda a costa brasileira está suscetível à ocorrência de tremores. Nessa região, chamada de talude, ou margem continental, as águas são mais rasas, e isso faz com que as camadas rochosas tendam a se “espalhar”. Esse fato, juntamente com a compressão que o continente sofre das placas de Nazca e África, podem explicar os registros de abalos ao longo da costa. 




  • sexta, 13 de abril de 2018 às 14:41




    O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) participou entre os dias 10 e 12 de abril em Madri, na Espanha, do METS 2018, conferência e feira de profissionais do setor de prospecção e mineração da União Europeia e da América Latina. A participação da CPRM, representando o governo brasileiro, teve como objetivo apresentar as potencialidades minerais do Brasil para investidores do setor privado, além da possibilidade de firmar novas parcerias com representantes de órgãos governamentais, de fomento financeiro, pesquisa e indústria.


    Diretor de Geologia e Recursos Minerais da CPRM, José Leonardo Andriotti


    Representando a CPRM, o diretor de Geologia e Mineração, José Leonardo Andriotti, participou da primeira sessão plenária do evento com o tema Investimentos e Negócios na América Latina, juntamente com representantes da Argentina, México, Áustria, Chile, Colômbia, Peru e Uruguai. Andriotti proferiu palestra sobre as potencialidades minerais do Brasil e sobre o papel da CPRM no avanço do conhecimento geológico do País para uma plateia de cerca de 200 pessoas presentes.

    A sessão plenária de abertura abordou o tema exploração mineral responsável, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e o desenvolvimento e a manutenção da cadeia de valor       forte e sustentável para beneficiar todas as economias envolvidas. O Brasil foi representado pela integrante do Ministério de Minas e Energia, Maria José Gazzi Salum.

    Na programação, o Brasil foi representado ainda no workshop Políticas Mineiras Nacionais e Crescimento Econômico, com a palestra A Revitalização da Indústria Mineira Brasileira, por Frederico Oliveira, chefe de gabinete do secretário de Minas e Energia e Ricardo Parahyba, Agência Nacional de Mineração (ANM-DNPM), que falou sobre a nova Agência Nacional de Mineração no Brasil - ANM (Lei 13575/2017). No workshop sobre inovação, palestrou Fernando Lins, do Centro de Tecnologia Mineral (CETEM), sobre o tema A investigação e os Serviços Tecnológicos no CETEM. Também estiveram presentes Samir Nahas e Lilia Santagostino do Ministério de Minas e Energia.


    Andriotti ao lado de representantes da Argentina, México, Áustria, Chile, Colômbia, Peru e Uruguai.



    Andriotti apresenta o papel da CPRM e as potencialidades minerais no Brasil no METS 2018






  • quinta, 12 de abril de 2018 às 15:49



    Esteves Colnago cumprimenta o Ministro Moreira Franco (Foto: Saulo Cruz/MME)


    O Serviço Geológico do Brasil esteve presente na transmissão de cargo do Ministro de Estado de Minas e Energia, Moreira Franco, realizada nesta quarta-feira (11/04), no auditório do Ministério de Minas e Energia. Participaram da cerimônia o diretor-presidente Esteves Colnago, o Diretor Antônio Bacelar e os assessores Fernando Carvalho e Paulo Romano.
     

    Moreira anunciou os integrantes das Secretarias que compõe o MME. Em menção aos secretários, Moreira comentou que tem orgulho de dizer que “os secretários de Fernando Coelho agora são meus. Eu tenho certeza que vamos enfrentar esse desafio juntos. O programa que vem sendo cumprido será perseguido até o limite da vitória” declarou.

    O novo ministro defendeu a desestatização da Eletrobras e afirmou que será publicado um Decreto que irá incluir empresa no Programa Nacional de Desestatização (PND). “Acreditamos que o Congresso Nacional haverá de entender a necessidade de nós capitalizarmos a Eletrobras, pois a Eletrobras não capitalizada é um atraso, uma manifestação de problemas que se aprofundarão no futuro, de negligência com o brasileiro”, disse.

    Ao finalizar, Moreira agradeceu a oportunidade dada em comandar o Ministério. “Quero concluir as minhas palavras, agradecendo a confiança de todos os que me ajudaram nas últimas funções que cumpri a chegar aqui, agradeço também a confiança do presidente Michel Temer e a oportunidade de poder servir ao Brasil. Servir no sentido de lutar para que possamos ter uma sociedade em que as pessoas tenham igualdade de oportunidade, que possam saber o que fizerem hoje. Existem regras que garantirão o crescimento deste esforço para dar às suas gerações seguintes”, encerrou.


    Esteves Colnago, Fernando Carvalho, Paulo Romano e Antônio Bacelar (Foto: Saulo Cruz/MME)

     Assessoria de Comunicação
    Serviço Geológico do Brasil - CPRM 
    (61) 2108-8400


Videos e Fotos

Videos, fotos e troca de fotografias

Cartas

Correspondências, oficios, memorandos emitidos da AGEN

Documentação

Documentação legal, estatuto, atlas e pareceres fiscias

Filie-se a AGEN

Pesquisadores e analistas da CPRM/SGB